Formação, responsabilidade mais que social

Trabalhador na fábrica

Formação, responsabilidade mais que social

Os elevados índices de desemprego são a face cruel de uma economia recessiva que dá sinais de estar chegando ao fim, mas mesmo com uma possível recuperação, encontrar um bom emprego significará estar preparado para se encaixar nas vagas que irão surgir. A questão da qualificação da mão de obra é um problema antigo, e ainda que alguns indicadores apontem para um aumento de escolaridade do trabalhador, incluindo formação básica, técnica e superior, a intensa incorporação de novas tecnologias no ambiente profissional impõe o domínio de novas rotinas produtivas, ou seja um aperfeiçoamento incessante.

Empresas investem tempo e recurso financeiro para estimular – e no limite realizar – a atualização dos seus funcionários e até os empregados mais antenados se conscientizaram da necessidade urgente de manterem-se atualizados como imperativo para preservar a colocação conquistada.

Este cenário traz aspectos altamente positivos como a aproximação do conhecimento ao fazer profissional, resultando em descobertas incríveis para os envolvidos. Em alguns casos o desafio do aperfeiçoamento técnico fica apenas com o trabalhador que busca por iniciativa própria cursos oferecidos pelo mercado para sua atualização.

EaD – Ensino a Distância

Ferramentas de ensino online tem ajudado muitas empresas a melhorar a qualificação de suas equipes e assim atingir objetivos e metas bastante ousados de produção (veja artigo “Novas tecnologias, novo conhecimento”). Com interfaces adaptadas à sua realidade, a empresa consegue oferecer um curso altamente focado em sua necessidade, abordando conhecimentos teóricos mais gerais mas também a específica aplicação na produção. Isto leva à geração de um conhecimento novo, uma vez que o “saber fazer” desenvolvido pela empresa estará em constante análise na tentativa de melhorar a ferramenta digital. As descobertas integram novas edições dos cursos e a empresa vai ganhando produtividade associada à inteligência de produção.

Para os funcionários que realizam o curso na modalidade EaD os benefícios são muito positivos, pois se mantém preparados para as novidades e tendências do mercado afastando o pior sintoma de um empregado antigo que é o comodismo e a desatualização. Mesmo que o curso seja realizado fora do horário de trabalho, empresas costumam bonificar com prêmios e promoções o funcionário que conclui com sucesso as aulas.

Responsabilidade social

Post01-2Diariamente dezenas ou centenas de desempregados procuram empresas em busca de recolocação no mercado. Para a organização, olhar para este contingente é importante pois ela precisa localizar bons profissionais para integrar o corpo funcional.

Neste processo as empresas investem em entrevistas e avaliações que demandam tempo e cuidados especiais para que o método resulte na localização dos melhores talentos. Parte deste processo pode ser realizado como um curso “para conhecer melhor nossa empresa” na modalidade de EaD.

O profissional ganha o acesso à plataforma e ao final conhecerá um pouco mais do funcionamento da organização que terá um banco de dados qualificado para futuras contratações. Para exercer plenamente sua responsabilidade social, a empresa pode permitir que os desempregados realizem o curso e ao final recebam um certificado para enriquecer o currículo de quem precisa muito melhorar sua apresentação para se recolocar no mercado. Mesmo que esse trabalhador não integre a esquipe desta organização que lhe deu um curso certificado ele jamais se esquecerá da valiosa contribuição que recebeu num momento tão importante.

Foto de perfil de Antonio Assiz
Diretor Aramá Comunicações
Docente, mestre em Ciências da Comunicação (ECA/USP)